Série A Seleção - Kiera Cass

“E porque esse país é do jeito que é, por causa de todas as regras que nos faziam viver escondidos, nem pude gritar seu nome. Não pude dizer mais uma vez que o amava.”


Autora: Kiera Cass
Páginas: A Seleção: 368; A Elite: 360; A Escolha: 352.
Editora: Seguinte
Sinopse do primeiro livro: Para trinta e cinco garotas, A Seleção é a chance de uma vida. É a oportunidade de ser alçada a um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha. Para America Singer, no entanto, estar entre as selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás o rapaz que ama, abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer e viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes. Então America conhece pessoalmente o príncipe e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que nunca tinha ousado imaginar.
“Espero que encontre uma pessoa sem a qual não possa viver. E desejo que nunca precise saber como é tentar viver sem ela.”
Comentários: eu já estava querendo ler essa série há um bom tempo, mas quando saiu era tanta gente falando dela e todo mundo lendo que cansei só de ouvir o povo falando, então acabei deixando de lado, mas estava à procura de alguma leitura interessante para esse fim de ano e encontrei A Seleção entre os "quero ler" do skoob e acabei dando uma chance à ela. Na verdade fiquei bem surpresa com o tanto de gente que já leu essa série! kkkkk Bom, não foi do jeito que esperava, mas ainda assim gostei.
“Era evidente que minha preferencia pelo outro o incomodava, mas em vez de escolher o ódio, ele demonstrou compaixão .Esse gesto me fez confiar nele.”
Enredo e Narrativa: A Seleção é mais uma distopia entre tantas distopias que estão sendo lançadas ultimamente. Nela vemos um futuro não muito distante, onde a monarquia se instalou e a população é dividida em castas, onde na casta um vive a nobreza e o clero e na casta oito são os sem tetos, abandonados e desamparados. Então conhecemos America, uma jovem da casta cinco, onde vivem os artistas. Eles não estão em posição tão ruim quanto as castas mais inferiores, mas também não vivem tão bem quanto as primeiras castas, muitas vezes mal têm o que comer, mas conseguem sobreviver.

Por viverem em uma monarquia, o príncipe está à procura de uma princesa, para serem futuros líderes, e para dar certa esperança ao povo, ele deve escolher uma moça em qualquer uma das castas, mesmo as mais baixas. E é aí que nossa protagonista entra.

America sabe que apesar das dificuldades que enfrentam, eles ainda tem sorte de terem o que comer, e ela também gosta de seu emprego como artista, principalmente de cantar, e o que a deixa mais feliz é Aspen, um garoto da casta seis, que se encontra com ela às escondidas por dois anos. Eles esperam se casar em breve, mesmo Aspen ainda não tendo pedido ela em casamento, mas America não revela nada à ninguém, por medo do que os pais vai achar por ela se casar com alguém de uma casta ainda mais baixa que a dela, o que significa passar ainda mais necessidade, então por enquanto eles somente tentam guardar dinheiro para toda a burocracia do casamento às escondidas.

Mas com A Seleção chegando, America acaba se inscrevendo para satisfazer a vontade de sua mãe e de Aspen, que diz que nunca se perdoaria se ela perdesse a chance de ter algo mais na vida e ajudar a família dela, então para agrada-los, America acaba se inscrevendo e por fim é selecionada entre as 35 moças que vão ao palácio para conquistar o coração do príncipe Maxon.

O que mais me deixou com receio de ler essa trilogia, foi o medo da história ficar focando muito no romance e deixar a parte da distopia de fora, e infelizmente isso aconteceu em alguns momentos. Muitas vezes a história ficava mais focada nos sentimentos de America e na sua indecisão sobre quem ela amava mais, do que na parte política, na injustiça de se viver à mercê de castas, onde uns tinham em abundância e outros nada tinham, e isso me irritou um pouco, acho que a história teria ficado bem melhor se tivesse sido mais focada no que era preciso fazer para dar igualdade à todos.

Outra coisa que também percebi, e que alguns fãs podem ficar um pouco revoltados (mas que é verdade), foi a semelhança da história com Jogos Vorazes. Em alguns momentos esquecia que estava lendo A Seleção e não Jogos vorazes kkkkk Mas tipo, tinha muitas coisas semelhantes, não vou falar aqui para não dar spoiler, mas quem ler as duas séries saberá. A única coisa diferente é que Jogos Vorazes tem muito mais ação que A Seleção.

Mas apesar disso tudo, é um livro que prende o autor pela curiosidade do que acontecerá no final e como acontecerá. Eu queria muito saber qual seria o destino de America, porque a autora conseguiu bem disfarçar como seria o final, às vezes parecia que America faria uma coisa e depois a história mudava e achávamos que ela ia fazer outra coisa.
“Ainda bem que eu estava sozinha. Nunca teria conseguido segurar as lágrimas na frente das outras meninas. Doía. Tudo doía. E não havia nada que eu pudesse fazer.”
Conclusão: apesar das várias semelhanças com Jogos Vorazes e dos momentos de tédio onde somente víamos a indecisão de America, eu gostei bastante da série, tanto que li em poucos dias, mas acho que poderia ter sido bem melhor se a autora tivesse focado mais nos problemas sociais e não nas brigas fúteis entre meninas ou nos vestidos que ela iam usar no jantar daquele dia. Em alguns momentos parecia mais uma história de romance do que uma distopia, mas ainda assim a curiosidade falou mais alto e li todos os livros da série para saber o que aconteceria com America no final.

14 comentários. Clique aqui para comentar também.:

Tainan Barboza Generoso disse... [Responder comentário]

De fato possui algumas semelhanças com Jogos Vorazes, embora eu veja o Jogos mais focado nos problemas do que no romance em si.

www.eucurtoliteratura.com

Camila Tamiya disse... [Responder comentário]

Oi Oi! :)
Não conheço! :(
Tudo no seu blog é realmente lindo. O layout, posts, imagens...perfeito, parabéns!
Já estou te seguindo!
Dá uma passada lá no meu blog quando puder, você será sempre muito bem vinda!
Beijão!
http://makedamotociclista.blogspot.com.br
Meu Twitter: @cat_343
Meu Insta: tamiya343

Alice Twins disse... [Responder comentário]

Patrícia, belíssima resenha e blog. Parabéns, :)

Um beijo,

www.alicetwins.blogspot.com.br

Tony Lucas disse... [Responder comentário]

Oi, Patricia! Tudo bem? Até então só li "A Seleção", mas quero muito ler os outros livros! Algo me diz que vou adorá-los! :)

Abraço

http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

Mariana Fontana Szewkies disse... [Responder comentário]

Oi Patricia!
Já li várias resenhas sobre a trilogia, mas ainda não tinha visto ninguém comparar a Jogos Vorazes.
Entre altos e baixos, me parece que o saldo geral foi positivo para você. Que bom.
Beijos,
alemdacontracapa.blogspot.com

Cida disse... [Responder comentário]

Oi Patricia! Eu fui lendo cada um assim que lançava, mas passei por uma experiência semelhante, de adiar a leitura por não aguentar mais ver o pessoal falando do livro com Cinquenta Tons e A culpa é das estrelas, que até hoje não li. Voltando para a Seleção, eu gosto da série, mas o primeiro volume é o melhor na minha opinião.

Bjos!! Cida
Moonlight Books

Sami Sam disse... [Responder comentário]

Oie!!!
Concordo com você que tem muita semelhança com jogos vorazes, contudo A Seleção tem mais uma pegada romântica, enquanto que Jogos Vorazes explora muito mais o lado psicológico da distopia vinda por parte do ditador tanto para com Katniss quanto com toda a população.
Apesar das semelhanças, têm suas particularidades.
Não esquece de dar uma passadinha no blog.
Novos posts todos os domingos
wtsnext.com

Aline Coelho disse... [Responder comentário]

Patricia querida que bom que vc leu e formou sua opinião sobre a série. Pelo que li nas resenhas, a maioria das pessoas que não gostaram tiveram a mesma opinião que vc, esperavam que o foco da "Distopia" fosse nas possíveis mudanças que a menina que veio de baixo poderia ajudar a fazer, caso fosse a eleita e não o romance e os questionamentos em si dessa mudança pessoal para ela. Mas acredito que pela capa já dava para perceber que o foco não seria político e sim mais pessoal.
Não tenho muita vontade de ler, mas admiro a forma como a série se vendeu sozinha, no famoso boca a boca, como a própria editora informou em alguma matéria (não lembro onde) eles só investiram depois que o primeiro virou febre.
Enfim parabéns pela leitura e pela exposição da sua opinião.
Beijos e ótimo fim de ano!!!

Leituras, vida e paixões!!!

Daniela Pereira disse... [Responder comentário]

A Seleção virou uma das séries favoritas (tirando o livro A Herdeira), mas mais por causa do romance do que a "distopia" em si. O conceito que eles criaram foi incrível, mas só se sabia falar de Maxon, América e Aspen do que os problemas em si... por isso que, na minha concepção, é um livro mais ya/romance do que distopia em si!

Beijos,
http://daniperere.blogspot.com.br/

Anna Gabriella disse... [Responder comentário]

Oie, Patrícia!
Eu ainda vou ler A seleção (mas já sei várias coisinhas sobre os casais) e por isso pretendo ler mais para conhecer a história e a distopia. Já que esse tem se tornado um gênero muito bom de apreciar.
Beijinhos!
Anna - Letras & Versos

Bianca Dickmann disse... [Responder comentário]

Oi, tudo bem?
Essa série é uma das minhas favoritas da vida, li em poucos dias e me apaixonei do começo ao fim.
Acho que o romance foi necessário ao decorrer do enredo, já que foco era A Seleção da nova princesa, necessitava dos sentimentos de America e Maxon serem expostos. Porém concordo que deveria ter mais cenas de ação e etc.
Beijos, http://lendocomabianca.blogspot.com

Priih disse... [Responder comentário]

Oi, oi! Quanto tempo. =)
Gostei do post, já tive curiosidade de ler essa série, mas acabei deixando de lado (até porque já sei o final). Mas talvez eu ainda mude de ideia e dê uma chance!
Feliz Natal!
Beijos,

Priscilla
http://infinitasvidas.wordpress.com

Lidiane Andrade disse... [Responder comentário]

Minhas amigas me recomendam muito essa coleção, mas eu ainda não li.

Se puder visitar meu blog, agredeço!
www.paginadaleitura.blogspot.com

Em comum disse... [Responder comentário]

Acho essa série perfeita .
Team Maxon para sempre.
Beijos
Amanda Elias
blog-emcomum.blogspot.com.br
Twitter - @blogemcomum / Insta - @blogemcomum / Fanpage Em Comum

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Topo